segunda-feira, 8 de abril de 2013

pra marcelino freire



a mulher da mulher barbada 1
beija e baba
suas bocas com barba


a mulher da mulher barbada 2
no princípio foram os bigodes
de Frida
os olhos no teto
e voava pra ilha de Barbados
vou lançar a teoria
da nódoa na Amélia
desexplicar
e no assoalho, deitada
sonhar meu casamento
com a mulher barbada.


a mulher da mulher barbada 3
a 1ª faz tchan
a 2ª faz tchun

[espelho espelho meu
a mulher da mulher
barbada, sou eu?]

e tchan tchan tchan tchan


a mulher da mulher barbada 4
escondia debaixo do colchão do boliche
anabolizantes,
que tomava no escuro da família,
no topo de sua ilha
deserta
perto do teto.
aos 16 foi expulsa do 1º circo de horror,
a casa do pai.
à essa altura já tinha barba e voz grave.
eu estava grávida quando a encontrei,
cospindo fogo na rua,
beijo de pólvora.

João já tem 6 anos
e nós 3 tiramos sarro
desse mundo bizarro.


--------------------------------------

4 poemasestudos sobre o título "a mulher da mulher barbada" - exercício 3 da oficina de marcelino freire, do projeto "escritas em trânsito" da fundação cultural do estado da bahia.
"valeu e maravilha"