sexta-feira, 25 de junho de 2010

outro sinal fechado

voltou o olhar pro céu
e agradeceu
20 centavos de esmola,
ali no meio da rua,
como se recebesse
um pouco de minha vida na sua.

a dor, a fome, o medo
[vermelho]. aberta ferida.
dos tempos, o sinal.
[verde]. será que teremos saída?



5 comentários:

j maria castanho disse...

As estrelícias esculpidas na seiva da voz
Descem os minutos de pétala em pétala
Teu nome soa nelas que nem um albatroz
Prestes a escorregar nas algas da fala
Voo em delta vela de ângulo perfeito
Esse de seres pêndulo que dentro do peito
Me navega e marca horas se batendo cala
Esse outro suspiro que voando me exala.

É precisamente esse o tempo da reflexão
Cujo vaivém me balança quando a lança
E flecha de Cupido me alcança o coração!

Por que você faz poema? disse...

Sinais vermelhos são janelas.

Gerana Damulakis disse...

Pungente.

Camila disse...

"Sinais vermelhos são janelas" para a dor.

Nilson disse...

Pungente, com certeza. Acho - mesmo! - que a saída é a poesia!