terça-feira, 30 de junho de 2009

fragmentos [do tempo]


1.
as horas
pulando para fora
dos relógios, livres,
anunciando nãotempo.


2.
...
essa brincadeira de roda
que é o tempo,


3.
reescreve o já escrito.
pega a esquerda,
depois da aurora,
acha outro labirinto.


7 comentários:

Cristiano disse...

Oi, Karina! Legal os seus poemas.Tenho um blog de crônicas e outro de curtas estórias que te convido a visita-los. Um abraço e escreva sempre!

http://cristiano-cartasdomeumoinho.blogspot.com/

http://cristiano-snapshots.blogspot.com/

carmezim disse...

"És um senhor tão bonito, quanto a cara do meu filho(...)"

hipergheto disse...

Karina, surpresa vc lá no blog. Se puder, apareça na Tom do Saber. Grande abraço e vida longa.

Janaina Amado disse...

Karina, vim aqui agradecer sua visita ao acreditanto e conhecer suas artes. Achei vc. bem criativa, gostei particularmente da poesia de rua, lindas interferências no dia-a-dia às vezes pesado da grande cidade. Espero vê-la de novo por lá, voltarei aqui. Abraço!

brown bunny disse...

obrigada karina,
_____e eu adoro seus poemas!!
bjo
pat

Herculano Neto disse...

O tempo, essa musa inquieta.
Saudações literárias.

Mayrant Gallo disse...

Bonito! Gostei do seu blogue e já linquei no meu. Abraço!