domingo, 12 de abril de 2009

lições do Gerúndio


se engana quem quiser,

quando se põe a pensar
que é alguma coisa.
eu, por minha vez,
escolho como abrigo
os braços do seu Gerúndio,
no tempo do sendo.

é – mais seguro,
sendo – mais sábio.

vendo minhas relíquias de pensamento
e meu baú de vícios,
acomodação do que sou,
e compro um vestido novo,
amarelo,
pra combinar com o sol
que anda fazendo.

amanhã pode até chover,
mas eu não serei, nem sou,

eu sendo.

6 comentários:

Renata Belmonte disse...

Oi, Karina,
Achei muito bonita essa sua iniciativa de colocar os fragmentos de poesia que você encontra pelo mundo. Tenho uma fotografia, do tempo que meu irmão morava na Espanha, onde ele está encostado num muro em que foram pichados versos do Vinícius de Morais traduzidos para o espanhol. Qualquer dia desses, farei um post sobre isso.
Beijos,
Renata

karina rabinovitz disse...

oi Renata,
os fragmentos são de poemas meus mesmo...
!!!
pra habitarmos as ruas de poesia também.
beijo.

Luli Facciolla disse...

Prima de Ju e Xande Rabinovitz?
hihihihihi

Beijo

Katia Borges disse...

Oi, Karina, belo poema. Gostei demais. BJ

Edu O. disse...

Que beleza!!

brown bunny disse...

que lindo poema!
e que bom receber sua visita no meu (blog) ensaio virtual.

bjos
Pat