domingo, 15 de fevereiro de 2009

as nuvens da alma


passeio sem dono
pelas nuvens da alma,
um pé sem chão,
acalma por ter céu pra caminhar.

um pouco de sono,
numa manhã sem rumo,
sumo pelo espaço, viro assombração,
com meu tênis luminoso de cadarços de cometa,
antes que cometa o erro
de viver preso ao chão.


poema para o postal de renatinho da silveira

domingo, 8 de fevereiro de 2009

curriculo


meu nome
eu mesma.
meu endereço em mim.

meu cadastro de pessoa física
este corpo,
que dentro é céu e é jardim.

meu registro geral
não foi registrado

e desde meu nascimento,
numa quarta-feira de cinzas,
nutro certo encantamento,
por tudo que não é numerado.

meu telefone
anda ocupado,

uma família de pássaros fez um ninho
bem no fio da minha linha
desde então, ali só se aninha
o canto de uma mãe que espera.
pra falar comigo,
só mesmo depois da primavera,
quando do nascimento do novo passarinho.

minha formação profissional

segue um caminho
amador.
insisto no amor.

minhas atividades atuais:

pensar na vida
e uma corrida sem fim à beira-mar...
encontrar saídas e
encontrar entradas,
para essa vontade desmedida
de viver, de amar.

por fim,
minhas referências pessoais,

é melhor que eu não diga
ou que você pergunte a ninguém...
elas serão sempre mais.

mais verdadeiro

é que você descubra,
na convivência comigo,
meu tempero,
minha loucura,
minha ternura,
meu desassossego...

então?
é meu, o emprego?